O prefeito de Andradas Rodrigo Lopes está otimista com a implantação efetiva da empresa Fonte Verde no Município. Em entrevista o prefeito relatou todo o esforço para que a empresa pudesse se instalar em Andradas já que o projeto dependia de alguns processos burocráticos e custos de impostos federais e estaduais.

“Nós fomos procurados pelos empresários Arjan e Tatijana, um casal que vivia na Holanda, no mês de abril de 2018. Eles apresentaram um projeto, uma planta desta empresa, que é ligada a outras do mesmo ramo, na Holanda, com uma tecnologia nova por aqui mais comum lá. A produção de tomates e de outras frutas é feita em estufas de vidro”, disse o prefeito Rodrigo Lopes.

A tecnologia, segundo o prefeito, envolve estufas climatizadas que podem ser sombreadas e sem o uso de agrotóxicos. A altura média das estufas é de sete metros. A expectativa é de uma produção sete vezes maior do que no processo convencional, gerando um produto orgânico, de alta qualidade.

“Eles estavam tentando há algum tempo viabilizar a implantação e já queriam desistir do Brasil e da nossa região. Foi quando fizemos uma reunião com o deputado Bilac Pinto-PSDB que marcou uma agenda de reuniões em Brasília para que conseguíssemos um consenso.” Segundo o prefeito, o que se buscava era a isenção das taxas de importação para os equipamentos especiais que são trazidos da Europa.

Havia uma resistência por parte do governo federal porque a estufa montada com caldeiras e todo o sistema de automação seriam divididos em cinco lotes para a importação, o que não seria viável economicamente. “A gente se deparou com outro problema que era o ICMS que seria cobrado por produto importado em Minas Gerais. Estivemos lá em Belo Horizonte pelo menos cinco vezes e agora em 2019 tivemos a confirmação de que todo o esforço valeu a pena.” Foram inúmeras reuniões no Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio Exterior e Serviços, e em Belo Horizonte na FIEMG, INDI (Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais) e Secretaria do Estado da Fazenda com o objetivo de reforçar a importância do projeto a ser instalado em Andradas, dada a alta tecnologia e sustentabilidade, além da geração de emprego e renda no Município.

Investimento pelos empresários chegará a R$ 50 milhões

Em paralelo o casal de empresários já havia adquirido o terreno e fazia a preparação do solo com recursos próprios. O investimento chegará a R$ 50 milhões e vai significar, segundo Rodrigo Lopes, a perspectiva de utilização desta tecnologia não só para o tomate, mas também para outras culturas como a uva, comum na região de Andradas. “Acreditamos numa cadeia produtiva também que possa surgir com derivados do tomate, além disto, é uma satisfação saber que este investimento feito pelos empresários vem de fora para aquecer a economia do país, dinheiro que entra por Andradas. ”

Mais de cem empregos devem ser gerados. O plantio vai até acontecer até o final do ano e a primeira colheita está prevista para março de 2020. Os equipamentos já chegaram no Brasil e a estrutura em vidro deve chamar a atenção no local de instalação, na rodovia BR 146, em frente à área chamada de alface, no Município de Andradas. “A gente fica até chateado porque muita gente questiona por que o prefeito viaja e eu digo: porque estas coisas não vão cair do céu, a gente tem que buscar as parcerias, os contatos e acolher os empresários que aqui chegam e os empresários que querem ampliar seus negócios na nossa cidade. Até 2012 não havia em Andradas nenhuma multinacional e hoje são quatro empresas deste porte instaladas aqui.”

O prefeito disse ainda que vislumbra um futuro promissor para Andradas no setor do turismo com o trabalho realizado pelo empresariado. “Agradeço muito ao Deputado Bilac Pinto e ao Senador Rodrigo Pacheco pela intermediação em Brasília e em Belo Horizonte para a concessão do ex-tarifário e do deferimento de isenção do ICMS. A participação do INDI também foi imprescindível. Sem esses incentivos a empresa não se instalaria aqui.”